Relatórios de Atividade

Secção 1

Sobre o Projecto

Nome Projecto

Conservação de tartarugas Marinhas na Reserva de Santa Luzia

Zona de intervenção

Santa Luzia – Praia de Francisca, Praia dos Achados

Área de abrangência

Complexo de áreas Protegidas de Santa Luzia ( 12,2 km)

Período de actividade

Junho/Outubro

Autor do relatório

Patrícia Rocha-Staff Biosfera 1

Telefone

2317929/9594335

Email

patricia.rendall.rochaotmail.com

Objectivos do Projecto

  • Geral – Protecção das tartarugas marinhas e dos ninhos durante a época de nidificação.

 

  • Específicos

 

-Promover a segurança dos ovos de tartarugas durante a fase de incubação.

- Enriquecer a base de dados Nacional sobre a nidificação em santa luzia.

- Sensibilizar e cooperar com as comunidades piscatórias que utilizam o complexo durante a época de nidificação.

- Promover trabalho científico

 

Actividades do Projecto

Quanto mais específicos melhor

  • Conservação in situ / ex situ

- Monitorização diária das praias de nidificação para marcação dos ninhos, translocação de ninhos em situação de risco para o zonas mais seguras na mesma praia ou na praia adjacente, enquadramento dos ninhos num perfil de praia previamente estabelecido, identificar e salvar tartarugas que se tenham perdido e abertura de ninhos na altura da eclosão. Colocar redes de protecção à volta dos ninhos naturais sem os tocar para testar a viabilidade da não construção de viveiros e se o toque das mãos poderão aumentar a taxa de não eclosão dos ovos.

 

  • Sensibilização  

- Sensibilização directa e diária com os pescadores que utilizam a Reserva durante a época de nidificação através de conversas e projecção de documentários sobre a conservação da natureza.

  • Divulgação

- Pequenos textos e fotos sobre as actividades realizadas na nossa página de Facebook e WebSite.

- Realização do documentário “Ilhas Desertas” realizado por Madalena Boto e Alexandre Vaz que já participou em cerca de 7 festivais internacionais e nacionais.

- Reportagem/entrevista para RCV, TCV (Programa Ambienta), Rádio Morabeza e Jornal A Nação.

 

Especificando todos os financiadores com os respectivos montantes

 

Secção 2   

     Resultados (por favor preencher também o quadro em anexo)

Principais resultados numéricos

 

Praias

(área/poligno)

Nº rastos

Nº de ninhos

Nº de mortes

Nº de ovos

OBS

J

J

A

S

O

N

Palmo tostão – 5,5 Km

2

-

-

-

-

-

-

-

---

Foi monitorizado de 10 em 10 dias, só para anotar algo fora do normal (houve muita inundação nesta praia)

Francisca – 4,6 Km

513

3

55

60

59

14

-

-

-

Cerca de 14 ninhos predados

Achados – 2,1 Km

366

3

22

51

40

3

-

-

-

Cerca de 8 ninhos predados

12.,2

881

6

77

111

99

17

-

-

-

-

 

 

 

Secção 3

     Metodologia de recolha dos dados nas praias

  •  

     Identificar quem recolheu os dados (guardas/monitores/voluntários)

    Contagem de ninhos e/ou controle de caçadores

 

 

 

      Na alvorada (05:00 horas) as equipas percorriam as praias marcando os ninhos e           contabilizando os rastros com um auxílio do GPS. Todos os ninhos em situação de risco (muito próximas à linha de maré, zonas de raízes ou lixo) foram translocados na mesma praia mas para uma zona mais segura. Este ano, não foi construído o hatchery para estudar a viabilidade de protecção dos ninhos naturalmente, sem o toque nos ovos e devido ao facto da inundação que ocorreu em 2013 para todas as ilhas de Cabo Verde para obtenção de dados científicos que ajudem na conservação. As equipas foram formadas por membros do staff da Biosfera, voluntários, staff da Sea Shepherd pescadores e trabalhadores do “Terry Três”.

 

 

Secção 4

Resultados

Sumário

 

Resultados chave

Resultados comparativos

  • Sensibilização;

- A presença do Navio Terry Três encalhado permitiu a presença de trabalhadores para o seu desmantelamento durante toda a época de nidificação, pelo que foi necessário uma nova abordagem e maior esforço de sensibilização (convidá-los a patrulhar as praias connosco) para garantir o sucesso de protecção.

- A sensibilização dos pescadores foi muito positiva e a Biosfera continua a dar o seu contributo no corpo directivo da Federação de pescadores artesanais de Cabo Verde (FEAPA).

- Foi efectuado uma campanha de limpeza na Praia da Francisca com voluntários de São Vicente e ficou agendado uma limpeza para a Praia dos Achados com os militares, ainda forma colocados contentores de lixo nas zonas de poiso dos pescadores para maior higiene.

 

  • Envolvimento;

- Participaram 23 voluntários fora os membros da Biosfera, fomos visitados por parceiros da ex-Geomar (dados genéticos), DGA (Sónia Araújo, Nuno Ribeiro), SPEA, equipa de filmagem do documentário “Ilhas Desertas”, equipa de filmagem do programa “Ambienta”, equipa de filmagem do programa Globo Reporter.

 

  • Participação (palestras encontros, reuniões etc.)

- Curso de monitorização de tartarugas Marinhas (Chipre); 34º Simpósio Internacional de Biologia e Conservação de Tartarugas Marinhas (E.U.A.); 1º Conferência Internacional AWA (Senegal); Summer School AMP challenges (Senegal).

 

  • Aplicação da legislação: Não utilizamos

 

Secção 5

Parcerias

Enumerar parcerias do projecto

  • DGA (autorizações/financiamento)
  • Sea Shepherd (financiamento/voluntários/transporte)
  • CEPF (financiamento)
  • Ex-GEOMAR (dados genéticos)
  • ISPA (expertise)

RESUMO: 

Durante os meses de Junho a Outubro manteve-se um acampamento na ilha de Santa Luzia para protecção das tartarugas marinhas e dos ninhos durante a época de nidificação. Foram feitas patrulhas diárias na praia de Francisca (4,6 km) e Achados ( 2,1 km) com os objectivos de:

O projecto decorreu como previsto com o apoio da DGA, CEPF, GEOMAR e SEA SHEPHERD. No entanto, foi necessário um maior esforço de sensibilização pela presença de trabalhadores no desmantelamento do navio Terry Três encalhado em Novembro de 2012 na praia de Francisca, de forma a garantir o sucesso da protecção.

No final do projecto foram contabilizados 310 ninhos contra 879 rastos (sem ninhos) nesta temporada. Um valor mais baixo que os anos anteriores ( ano 2012 com 1817 ninhos; ano 2013 com 563 ninhos) e que pode ser explicado pela flutuação natural no ciclo biológico das tartarugas marinhas.